Polícia prende suspeitos de tráfico de drogas e homicídios

Equipes do Batalhão de Operações Policiais (BOPE) e do 11º Batalhão de Policia Militar participam da “Operação Quarteto” deflagrada, nesta quinta-feira (19), pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atua em Alagoas. O grupo é suspeito de tráfico de drogas, homicídios, roubos e outros crimes.

A ação integrada, que conta ainda com equipes da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), Asfixia, e do Grupamento Aéreo da Segurança Pública cumpre 16 mandados de busca e apreensão e 23 de prisão em Maceió, Penedo, no município de Nossa Senhora do Socorro (SE) e nos estados de São Paulo e Paraná. Cinco dos alvos já se encontram recolhidos no sistema prisional.

Policiais militares e civis dos Estados de Sergipe, São Paulo e Paraná também auxiliaram no cumprimento dos mandados.

A DRN fez a representação dos mandados, que foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. As investigações tiveram início em julho com o apoio da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e também de denúncias recebidas por meio do Disque Denúncia 181.

Segundo as investigações, a Organização Criminosa alvo da operação atua em Alagoas e possui ramificações em outros estados. O estado de Sergipe era utilizado pelo grupo como ponto de apoio para fazer com que os materiais ilícitos chegassem a capital alagoana e assim fossem distribuídos.

Uma grande quantidade de drogas foi apreendida em Sergipe e também houve apreensões de armas nos alvos da operação. Os detalhes finais da operação serão repassados pela SSP ao término dos trabalhos.

A população pode utilizar o Disque Denúncia 181 para repassar mais detalhes que auxiliem a Segurança Pública na identificação de outros integrantes da organização criminosa. Os detalhes finais da operação serão repassados ao término dos trabalhos.

A DRN fez a representação dos mandados, que foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. As investigações tiveram início em julho e tiveram apoio da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e também de denúncias recebidas por meio do Disque-Denúncia 181.