Deputado federal de Alagoas diz que peessedebistas prejudicam equipe do governo

Passada a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, o Palácio do Planalto quer fazer um pacto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para conseguir emplacar uma agenda de reformas consideradas necessárias na retomada do crescimento econômico. Com menos apoio político, Temer sabe que agora depende de Maia para aprovar projetos polêmicos, “tourear” o Centrão e concluir sem sobressaltos o seu mandato, em 1.º de janeiro de 2019.

Mas para o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), Temer precisa “caçar” os tucanos para conseguir mais força política. A guerra de Lira contra os tucanos já começou, pelo menos, em Alagoas. Na semana passada, o parlamentar até gravou um vídeo dizendo que Rui Palmeira (PSDB) está prestes a cair em uma armadilha tramada por Téo Vilela, do mesmo partido.

Lira comentou as notícias que vem sendo veiculadas em sites e jornais sobre o prefeito Rui Palmeira se tornar o presidente do PSDB em Alagoas. Para o deputado, tal mudança é preocupante. Conforme explicou em vídeo, tudo não passa de um acordo branco entre o senador Renan Calheiros (PMDB) com Téo Vilela.

“São senadores siameses, ficou claramente definido isto nas eleições de 2014, quando o então governador Téo Vilela apoiou uma candidatura que não refletia naquele momento a vontade do povo alagoano”, disse. Tudo seria para selar acordo com os Calheiros. E ainda deu um recado a Rui Palmeira: “pense sobre seu destino”.

Novamente em Brasília, Arthur Lira quer os tucanos longe do presidente peemedebista. “Temer está tendo uma nova oportunidade de reiniciar o governo. Necessita urgentemente fazer uma rearrumação e tirar os tucanos da equipe porque do jeito que está não funciona”, afirmou. “Maia terá um papel importante nesse processo porque dialoga bem com a base e com a oposição.”

Ao ser perguntado se o Executivo aceitaria dar ainda mais protagonismo ao presidente da Câmara, Lira não pestanejou. “Aceitar ou não independe da vontade do governo. É uma questão de sobrevivência”, argumentou ele.

EM ALAGOAS

O senador Benedito Lira (PP) e o deputado Arthur Lira estão temendo mudanças nas eleições de 2018. Os pré-candidatos Renan Filho e Téo Vilela podem tirar fácil a vaga de Biu para o Senado. Enquanto isso, a estratégia é que apoiando Rui Palmeira para Governo do Estado, Raimundo Palmeira, enteado de Benedito de Lira, ficaria com o Executivo da capital.

DENÚNCIA

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (25) a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em 14 de setembro.

Eram necessários 342 votos para que o Supremo Tribunal Federal (STF) pudesse continuar as investigações, mas apenas 251 deputados votaram contra o peemedebista ao apreciar o parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), a favor do arquivamento.

Entre os deputados alagoanos, apenas Marx Beltrão, Maurício Quintella (ambos ministros licenciados), e Arthur Lira votaram pró-Temer. Ronaldo Lessa, Givaldo Carimbão, João Henrique Caldas, Pedro Vilela, Paulão, Ronaldo Lessa E Cícero Almeida, que havia feito enquete em sua página nas redes sociais, votaram pelo prosseguimento da denúncia.