Máfia do lixo: Fernando Dacal se defende de acusações

Candidato à presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), Fernando Dacal Reis, se defendeu quanto às notícias que foram divulgadas sobre ele ter participado da ‘Máfia do Lixo’.

Segundo Dacal, em relação aos pagamentos de empresas coletoras de lixo a Justiça já o considerou inocente. ‘’Uma notícia falsa sobre mim tem sido divulgada de forma criminosa – e as medidas judiciais cabíveis serão tomadas’’, disse.

Dacal publicou um trecho da decisão do juiz Antônio Emanuel Doria Ferreira, do dia 17 de agosto deste ano. Veja:

‘’Em relação ao demandado Fernando Dacal Reis, que é demandado por ser responsável pelo pagamento, verificamos que os pagamentos relativos ao período 14/10/2005 a 19/12/2005 foram feitos na rubrica orçamentária correta…não existindo indicativos de nenhuma irregularidade (no pagamento) (…) Logo, não vislumbramos elementos que apontam má-fé no ato praticado por Fernando Dacal Reis, em relação à presente imputação, já que a interpretação no termo final do contrato foi realizada pelos órgãos consultivos (Procuradoria)’’.

Quando Cícero Almeida foi denunciado pela conduta de dispensa de licitação na contratação da empresa responsável pela coleta do lixo na capital alagoana, outros nomes foram acusados, como João Vilela Santos Junior, à época superintendente da Slum, e os servidores públicos Lucas Queiroz Abud e José Erivaldo Arraes.

O Ministério Público Estadual de Alagoas entrou com a ação civil pública em novembro de 2010 contra o, na época, prefeito da capital e mais 15 pessoas por ato de improbidade administrativa. Todos são acusados de desviar R$ 200 milhões em contratos em cinco anos.

Dacal está concorrendo à presidência do Crea-AL junto com Disneys Pinto e Mário Agra e disse que ‘’a defesa dos interesses profissionas não pode ser transformada em defesa de interesses individuais’’. A eleição acontecerá no próximo dia 15 de dezembro.

 

Join the Conversation