Deputado estadual e filho são acusados de agredir tenente-coronel da PM

O deputado federal Nivaldo Albuquerque e o pai, o deputado estadual Antônio Albuquerque, foram acusados pelo tenente-coronel da Polícia Militar de Alagoas, Herófilo Soares Souza Pantaleão Ferro, de o terem agredido na noite deste domingo, 27. De acordo com o militar, o fato ocorreu na Fazenda Espírito Santo, de propriedade da prefeita de Belém, Paula Santa Rosa (PSDB).

O tenente-coronel  registrou Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia da cidade visando se proteger dos fatos posteriores. Ele relatrou que se encontrava na fazenda com Antônio Albuquerque quando o filho (Nivaldo) se aproximou escoltado de 15 guarda-costas. “Eu falei em tom de brincadeira que ele não deveria estar ali, pois ali era conversa de gente grande, não de menino, após isso começaram os xingamentos e as agressões”, afirmou Herófilo.

De conformidade com as informações do BO, Nivaldo se ostentou do cargo político e iniciou os insultos colocando o dedo em riste para o militar, teria afirmado: “Eu sou deputado, me respeite”. Diante das agressões, o militar teria se desculpado, não surtindo efeito.

Não conformado com xingamentos, como relata  Herófilo,  Nivaldinho, como é conhecido o filho de Antônio Albuquerque, partiu para agressão física, tendo ele revidado. Por fim, o deputado federal chegou ao ponto de sacar a arma que carregava na cintura.

Depois várias ameaças, o tenente-coronel só deixou o local escoltado por policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Atendendo a determinação do comando da Polícia Militar,  o tenente-coronel Pantaleão Ferro deve se apresentar no Quartel Geral da corporação, na manhã desta segunda-feira, 27, para detalhar as ameaças a fim de que sejam adotadas as providências cabíveis.

Join the Conversation