Rui X Renan: Recolhimento de fezes de cães vira briga por votos em Maceió

Agentes da Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU) foram obrigados a recolher placas com sacolinhas sustentáveis colocadas pelo Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) na orla da capital.

Nem o superintende do órgão, Gustavo Lopes, entendeu os motivos do prefeito Rui Palmeira. “Enquanto tem vários municípios querendo uma ação como essa, a prefeitura de Maceió remove as placas que têm a finalidade de zelar pelo meio ambiente”, disse ao A Notícia.

O fato já foi motivo de comentários nas redes sociais. Alguns encararam a atitude do prefeito como perseguição contra o governo de Renan Filho. Vale ressaltar que a prefeitura da capital lançou programa parecido na semana passada.

Conforme o próprio site da prefeitura, a Superintendência de Limpeza Urbana (Slum) firmou uma parceria com a empresa Publicão na terça-feira passada (19). Com a ação, a cidade receberá totens que terão sacos plásticos para o recolhimento de resíduos de animais domésticos.

Questionado, Lopes destacou que ambos programas poderiam se complementar para possibilitar uma cidade mais limpa, sobretudo o cartão postal da cidade, que são as praias. Em nota, o IMA destacou que a prefeitura de Maceió mandou arrancar da orla de Maceió.

“Infelizmente, a ação compromete e dificulta todo o trabalho realizado pelo IMA/AL, que está na terceira edição do projeto. Toda a equipe de Educação Ambiental do Instituto repudia a ação retrógrada e sem sentido da prefeitura de Maceió”, informou a nota.

“O projeto é muito bem aceito pela população, tem repercutido positivamente entre os usuários das praias, porque colabora com a diminuição da quantidade de lixo, que impacta diretamente o ambiente marinho”, finalizou.

Join the Conversation